Dúvida: Transitividade e Intransitividade verbal

Dúvidas / Discussões gerais sobre a Língua Portuguesa.

Moderador: Pedro.max

Dúvida: Transitividade e Intransitividade verbal

Mensagempor Aquemis » Domingo Dez 20, 2009 1:27 pm

Olá a todos,

Estou com algumas dúvidas em relação aos Verbos Transitivos e Intransitivos. Se alguém puder me explicar ficarei extremamente grato:

Estou estudando para concurso público e me deparei com algumas frases que me causaram confusão. Procurei em vários sites e livros alguma técnica infalível para indentificar os verbos Transitivos e Intransitivos, mas infelizmente não encontrei. As frases a que me refiro são:

1. Saímos do cinema tarde - Meu raciocínio: Nós saímos. Verbo Intransitivo

2. O filme agradou a todos - Meu raciocíno: O filme agradou. Verbo Intransitivo

3. Preciso de muito tempo - Meu raciocíno: Quem precisa, precisa de algo Verbo Transitivo Indireto

4. Obedeça aos professores - Meu raciocíno: Quem obedece, obedece a alguém Verbo Transitivo Indireto

5. Deparamos com uma cobra - Meu raciocíno: Nos deparamos com o que? Uma cobra Verbo Transitivo Indireto

6. Gosto de pessoas sinceras - Meu raciocíno: Quem gosta, gosta de algo Verbo Transitivo Indireto

* Conclusão: Não consegui desenvolver a menor habilidade em identificar tais verbos.

Peço encarecidamente que alguma alma caridosa me esclareça de forma didática como analisar as frases para classificar esses verbos de forma correta. Muito obrigado!
Aquemis
 
Mensagens: 2
Registrado: Domingo Dez 20, 2009 1:02 pm

Resposta.

Mensagempor Gustavo_HSAL » Quarta Dez 23, 2009 2:28 am

Olá, Aquemis. Devo dizer-te que, de fato, não existe nenhuma técnica infalível através da qual se possa identificar a transitividade dos verbos. A regência de muitos verbos é definida por servidão gramatical; o que se mostra nas gramáticas escolares é a descrição de regências, sem que haja razão para que um verbo ora seja transitivo direto, ora indireto. Em análise sintática, para que se classifique bem um verbo quanto a sua predicação, é importante reconhecer os demais termos da oração. Vou-te tentar explicar melhor com resolver as questões em que tiveste dúvida.

1.ª) Em Saímos do cinema tarde, repara que o termo do cinema indica circunstância de lugar donde e que a significação externa do verbo sair, ou seja, sua referência a noções do nosso mundo (nesse caso, seu próprio significado: deixar um local, passar do interior para o exterior), está contida em si mesma, o que, evidente, aclara parte de sua significação interna, particularmente sua transitividade. A ação de sair, portanto, não exige objeto, visto que ela, sozinha, se justifica. Períodos como Os casais saíram mostram-se claramente completos; o que se pode adicionar a eles são as circunstâncias do acontecimento: Os casais saíram rapidamente; Os casais saíram à noite; Sorrateiramente, os casais saíram da festa; Os casais saíram do cinema tarde etc. Essa pouca, mas eficaz, explicação é suficiente para que se perceba que o termo do cinema é adjunto adverbial e que, portanto, o verbo sair, nesse caso, é intransitivo.

2.ª) Em O filme agradou a todos, tem-se que a todos não pode, evidentemente, ser entendido como indício de circunstância e que a significação externa do verbo transita dele para seu complemento, que é introduzido pela preposição a. Repara também que o termo a todos pode ser substituído pelo pronome lhe, o que é mais um indício da classificação sintática que receberá o verbo. O complemento verbal é chamado objeto indireto porque, formalmente, encerra preposição que o introduz. O verbo é, portanto, classificado como transitivo indireto.

3.ª) Em Preciso de muito tempo, a história pode tomar outro rumo, se se quiser que a explicação seja mais completa. Seguindo a Nomenclatura Gramatical Brasileira, que (não se sabe bem!) deve ter sido revogada, em 2004, pela TLEBS (Terminologia Linguística para os Ensinos Básico e Secundário), que também foi anulada, só que em 2007, o termo de muito tempo, como se tem raciocinado até agora, seria objeto indireto e o verbo, transitivo indireto. A explicação é a mesma: de muito tempo integra a transitividade de preciso e é introduzido por preposição, e o verbo, regendo esse tipo de complemento, é, portanto, classificado como transitivo indireto. É importante que se saliente que toda a análise até então feita se baseia nas lições da gramática escolar, que ainda é bem preenchida pela caturrice da gramática tradicional. Gramáticas mais sérias, como a Moderna Gramática Portuguesa, de Evanildo Bechara, e os Fundamentos de Gramática do Português, de José Carlos de Azeredo, trazem conceitos que, já de há muito, deveriam estar presentes nas gramáticas que se destinam ao Ensino Básico. Um deles é o de complemento relativo, que é o termo que integra a significação do verbo através de qualquer preposição e que nunca pode ser substituído pelo pronome oblíquo lhe(s). O objeto indireto, muito confundido com o complemento que acabei de explicar, dele difere porque sempre é introduzido pela preposição a e sempre pode ser substituído pelo pronome oblíquo lhe(s). A maioria dos verbos que regem complemento relativo não revela por que se deve optar por uma ou outra preposição, pois esse é mais um caso de servidão gramatical. Por exemplo, não se tem como explicar por que assistir, no sentido de estar presente, comparecer, exige a preposição a, e não outra qualquer. Também são casos de servidão gramatical o gênero dos substantivos; não se explica por que porta é feminino, rio é masculino, árvore é feminino etc. Aquemis, quero que saibas que a extensão que fiz sobre o assunto, tratando do complemento relativo, deve ser compreendida apenas a titulo de curiosidade; se te preparas para concursos, é importante que não consideres o conceito desse complemento, pois é certo que a maioria dos concursos, se não todos, não cobram dos candidatos conceitos mais aprofundados.

4.ª) Em Obedeça aos professores, pode-se seguir o mesmo raciocínio: aos professores não indica circunstância (não pode ser adjunto adverbial), integra a significação do verbo obedecer e é introduzido pela preposição a. Esse termo é, portanto, objeto indireto. Repara que esse complemento, até em análise mais rigorosa, deve ser, sim, classificado como objeto indireto, pois é possível a substituição do termo pelo pronome lhes, o que não se permite ao complemento relativo. Sendo assim, o verbo é transitivo indireto.

5.ª) Em Deparamos com uma cobra, faz-se o mesmo raciocínio. O termo com uma cobra é objeto indireto, segundo, claro, a gramática escolar, e o verbo deparar é transitivo indireto. Não custa acrescentar também que, na mesma acepção, o verbo deparar também pode ser usado como pronominal (Deparamo-nos com uma cobra).

6.ª) Em Gosto de pessoas sinceras, a discussão repete-se: de pessoas sinceras é objeto indireto e gosto, verbo transitivo indireto.

Bom, Aquemis, como deves ter percebido, a classificação dos verbos segundo a predicação verbal exige que conheças bem os demais termos da oração (essenciais, integrantes e acessórios) para que possas, excluindo possibilidades e, ao mesmo tempo, identificando as caraterísticas do termo em questão, fazer a análise sintática mais acertada. Note-se que o verbo em si não é termo da oração; evidenciam-se seus valores sintáticos por ele poder ser núcleo do predicado verbal (ou do verbonominal) ou partícula copulativa (verbo de ligação), presente na composição do predicado nominal. O pontapé para a classificação do verbo segundo sua transitividade é a análise do seu complemento. Espero que tenhas compreendido o assunto e que te possa ter sido claro.

Abraço.

Até outros tópicos.
Editado pela última vez por Gustavo_HSAL em Terça Dez 29, 2009 2:10 am, no total de 1 vez.
Gustavo_HSAL
 
Mensagens: 47
Registrado: Sexta Set 04, 2009 2:32 am
Localização: Crato - CE

Re: Dúvida: Transitividade e Intransitividade verbal

Mensagempor Aquemis » Segunda Dez 28, 2009 1:22 pm

Olá Gustavo_HSAL, não sei como lhe agradecer por essas explicações espetaculares! Sua clareza removeu o bloqueio que eu tinha e que dificultava minha compreensão: Eu analisava somente o verbo e não os demais termos da oração. Essa é a 1ª vez que recebo explicações tão claras e detalhadas sobre esse assunto. Já imprimi o seu tópico e estou usando suas explicações como base para o aprendizado de transitividade verbal. Com todos esses esclarecimentos estou revendo os exercícios que fiz, corrigindo-os e inserindo comentários baseados em suas explicações.

Gustavo _HSAL, quero agradecê-lo e dizer que sua ajuda foi de extrema importância para eu poder continuar nesse caminho. Graças à sua generosidade, que me abriu os olhos, estou conseguindo progredir em meus estudos.

Mais uma vez muito obrigado!

Um grande abraço e fique com Deus.
Aquemis
 
Mensagens: 2
Registrado: Domingo Dez 20, 2009 1:02 pm


Voltar para Dúvidas gerais

Quem está ligado

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes